PUBLICIDADE
Sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

Labirintite é grave, mas tem cura

Ampliar
Créditos: Tuca Melges
postado  Postada em 05/09/2011  

Mal estar, enjoos, ouvido entupido e fortes tonturas. Esses são os principais sintomas que acompanham a crise de labirintite. A doença que pode atingir todas as faixas etárias tem tratamento e cura que poucas pessoas conhecem.

O otorrinolaringologista Renato Breda Bauab explica que a labirintite tem esse nome popular, porém a definição correta da doença é distúrbio do equilíbrio corporal. O médico explica que o nome provém da formação do órgão, o labirinto, o qual integra a parte auditiva do corpo. "No labirinto estão presentes nossas funções da audição e do equilíbrio." Essa área é sensível e qualquer pequena alteração no organismo pode alterar a estrutura do labirinto, causando a labirintite.

A aposentada Joselice da Silva Mendes, 61 anos, conhece bem os sintomas da doença. Há 10 anos, sofria com as crises, mas hoje controla a labirintite. "Foi bem forte, mal conseguia andar, então procurei um médico logo em seguida". Conforme especialistas, Joselice fez o correto: procurou orientação médica.

Breda Bauab diz que o tratamento imediato é a melhor forma de conter a crise e chegar à cura. "As pessoas acham que não existe cura da labirintite, mas isso é um engano". O tratamento é feito com medicação orientada por especialista. "O tempo que leva para tratar a doença depende de cada paciente", diz.

Alterações no metabolismo afetam o labirinto e provocam o distúrbio. Por isso, cada caso tem um motivo específico e é preciso uma avaliação criteriosa para que se descubra as causas da labirintite.

Causas

A sensibilidade do labirinto acaba por perceber as alterações do corpo, que podem ser desde emocionais, como o estresse, até um problema físico, como a pressão alta. O médico afirma que estar atento às condições de saúde do organismo são essenciais para prevenir a labirintite.

"Problemas cardiovasculares ou na tireoide podem atingir o labirinto pelo reflexo que isso causa em nosso corpo", afirma Breda Bauab. Conforme o médico, até a alimentação pode interferir para que a doença apareça.

Ingestão de cafeína, açucares em exagero e bebidas alcoólicas, assim como o cigarro, pode ser responsável pelo aparecimento da patologia. Alimentação saudável e controle do estresses e da ansiedade podem evitar o problema (veja quadro).

O otorrinolaringologista José Luiz Céspedes afirma que há casos em que não é necessária dieta específica, por isso é preciso procurar um especialista assim que surgir os primeiros sintomas. "Com o tratamento ideal a labirintite não se torna um problema ao paciente." (Vanessa Aguiar)



Galeria de imagens: (Clique para ampliar)
Ampliar Ampliar Ampliar
Avaliar a notícia:  
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE