...
PUBLICIDADE
Ricardo Recchia 07/04/2015

Sem verba, Giro do Interior é cancelado

  
Giro do Interior atraía para a região os melhores ciclistas do Brasil Divulgação/Ivan Storti

Uma das principais competições do ciclismo nacional não deve ser realizada em 2015. A oitava edição do Giro do Interior de São Paulo, programada para este fim de semana, em Barra Bonita, foi cancelada por falta de recursos financeiros. Quem informa é o empresário e ex-ciclista profissional André Luiz Pulini, 35 anos, idealizador do evento e que tentou mudar essa situação até o fim do mês passado.

Por sete anos consecutivos, a elite do ciclismo brasileiro esteve pedalando pelas estradas da região de Jaú. Mas, neste ano, o Giro do Interior ficou inviabilizado após um corte de 50% na verba que a prefeitura de Barra Bonita repassava para o evento esportivo. No ano passado, a competição custou R$ 48 mil – sendo R$ 30 mil de recursos oriundos da administração municipal. Agora, o poder público informou que destinaria apenas R$ 15 mil à prova. A prefeitura da Barra aponta queda na arrecadação de cerca de R$ 5 milhões no orçamento deste ano para justificar a diminuição da ajuda financeira aos organizadores da prova. Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura daquela cidade, outros projetos programados para este ano também sofreram cortes nas receitas.

Mesmo com a cobrança de taxa de inscrição para os participantes do Giro Máster – torneio para ciclistas acima de 30 anos de idade, que é disputado em paralelo ao evento da elite – e o apoio de alguns patrocinadores, a conta do 8º Giro não seria fechada. “Quando fui informado do corte de verba da prefeitura tentamos buscar apoiadores para levar o Giro para a estrada, mas infelizmente não foi possível. Já era complicado fazer o Giro com o mesmo orçamento, e com a redução fica impossível”, explica Pulini.

Retomada

O ex-ciclista profissional afirma que a já tradicional prova ainda poderia ser retomada neste ano, segundo contato com o governo municipal. Mas isso dependeria de adequações no calendário da modalidade e de novas negociações envolvendo patrocínios. “Cogita-se fazer o Giro ainda neste ano em outra data. Não sei se é possível. O que espero é retomá-lo no ano que vem porque é uma prova importante não apenas para a cidade, mas para o ciclismo nacional”, afirma o organizador.

 COMENTÁRIOS