...
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Da Redação 18/06/2017

Gabriel Jaú é campeão brasileiro de basquete

Bauru vira série final sobre o Paulistano e fatura NBB pela primeira vez

Gabriel Jaú (centro) celebra título do NBB com companheiros de time Fotojump/LNB

Jauense que leva a cidade até no nome, Gabriel Jaú é campeão brasileiro de basquete. O ala-pivô Gabriel Crepaldi Volpato Galvanini, de apenas 18 anos, comemorou o título do Novo Basquete Brasil (NBB) do Bauru Basket na tarde de ontem em Araraquara, no Ginásio Gigantão.

Com uma defesa muito forte a apoio maciço de sua torcida. o Bauru venceu o Paulistano, completou sua virada na série final e levantou pela primeira vez o troféu do NBB.

Após perder as duas primeiras partidas do duelo final, a equipe do interior consertou seu esquema defensivo e conseguiu sequência de três vitórias para fechar a série em 3 a 2.

No jogo deste sábado, o qual terminou em 92 a 73 para o Bauru, Gabriel Jaú teve participação discreta. Esteve em quadra por pouco mais de 5 minutos e não pontuou – o que não apaga seu bom desempenho ao longo da competição.

Foram 41 partidas disputadas, 164 pontos convertidos, 110 rebotes e 15 assistências. Média de 4 pontos, 2,7 rebotes e 0,4 assistência por jogo. O menino jauense evoluiu ao longo da temporada e não se intimidou nos playoffs, os momentos mais decisivos.

No jogo 2 das quartas de final contra Brasília, por exemplo, roubou a cena e foi o grande nome em quadra ao anotar 17 pontos, pegar dois rebotes e dar duas assistências. Na última partida da série semifinal, contra Pinheiros, fez 11 pontos e pegou quatro rebotes.

“É uma sensação inexplicável representar uma cidade vizinha à minha. Bauru e toda a região abraçaram o basquete, só tenho que agradecer à torcida. Sem palavras, é campeão!”, exclamou Gabriel Jaú em meio à celebração de ontem.

Elogios

Gabriel ganhou espaço principalmente após a saída de Rafael Hettsheimeir para o basquete espanhol. Deu conta do recado e fez por merecer os elogios do chefe, o treinador Demétrius Ferracciú.

“O mais importante é a maneira como o Jaú estava preparado. Não é só chegar e jogar, pois a preparação dele vem sendo feita há dois anos, o que dá consistência ao trabalho. Quando o jogador acredita no próprio potencial e que pode corresponder, colhe o resultado, como o Jaú fez”, comentou o técnico após a partida de ontem.

Galeria de imagens:(Clique para ampliar)

 COMENTÁRIOS