...
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
12/08/2017

Espetáculo recria cena de chuva

Conta-se que o ator Gene Kelly estava doente e febril quando gravou a famosa cena do filme “Cantando na Chuva” (1952), sapateando e cantarolando sob um temporal. Para a quase centena de sessões previstas para a montagem brasileira do musical, que estreia hoje na capital paulista, a produção buscou frear possíveis resfriados.
Os 10 mil litros de água que criam o efeito de chuva sobre o palco são armazenados em tanques com um sistema para manter o líquido a uma temperatura de 29ºC. O chão, formado de ripas, como um deque, escoa a água, que retorna para os reservatórios.
Na cena, Jarbas Homem de Mello, que vive Don Lockwood, mesmo papel de Kelly, terá os figurinos impermeabilizados. As roupas molham, mas não encharcam, e o ator sai de cena direto para uma estufa, onde se seca. A adaptação brasileira, autorizada a captar R$ 9,3 milhões via Rouanet, foi idealizada pelo casal Jarbas e Claudia Raia em 2012, após eles verem o musical em Londres. 
A atriz, cantora e bailarina jauense Gabriela Rodrigues, 23 anos, que faz parte do elenco do musical, diz que o “finale”, quando a chuva cai sobre todos os personagens em cena ao som da música-tema, “Cantando na Chuva”, é sua parte preferida do espetáculo. Outra cena que elenca são os 11 minutos de dança enquanto vive a personagem principal, Kathy Selden – ela é cover da atriz Bruna Guerin.
Gabriela elogia o casal Jarbas Homem de Mello e Claudia Raia em seu primeiro trabalho com eles. “Além de serem profissionais e muito competentes, são super acessíveis. A Claudia é muito engraçada, sempre com ótimas ideias, é uma mãezona para a gente.” (Folhapress e NGP) 

 COMENTÁRIOS