...
PUBLICIDADE
Estela Capra 11/10/2018

Empresas iniciam seleção de temporários

Taxa de efetivação de funcionários contratados por período deve ser de 20% a 30%, segundo Sincomercio

  
Emprego temporário pode se transformar em contratação efetiva Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas

O final do ano é visto como oportunidade para quem busca se recolocar no mercado profissional. A aproximação do período de festas, que estimulam maior número de compras pelos consumidores, alerta empresas sobre a necessidade de investir em funcionários temporários.
Para quem está sem emprego, as vagas temporárias são alternativa enquanto a efetivação não vem. “Em função da alta rotatividade das empresas, pode acontecer do funcionário contratado por período que se demonstra qualificado pegar a vaga de outro que já era efetivo”, diz o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Jaú e Região (Sincomercio), José Roberto Pena. A previsão de efetivação de empregados varia de 20% a 30%.
De acordo com o Sincomercio, a estimativa é de criação de 300 novas oportunidades para o período. O número, similar ao ano passado, ainda é considerado baixo por conta da situação econômica do País. “Esse ano está sendo bastante atípico. Tivemos Copa do Mundo, greve, eleições. A economia deu uma paralisada. O primeiro semestre não foi bom para o varejo, mas esse segundo vai ter retomada”, avalia Pena.
Além dessas oportunidades, há também no período a criação de vagas informais (freelancer), que podem ser opção para funcionários que querem complementar a renda.
“Estamos um pouco inseguros por conta do cenário político atual, mas a expectativa é que seja melhor neste ano em comparação com os anos anteriores”, avalia o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Alexandre Ivan dos Santos.
Entre os ramos que mais empregam temporariamente no final de ano estão as lojas de confecção, vestuário e cosméticos, itens também apontados como os mais vendidos para presentes de Natal.

Contratação

Em outubro, as empresas começam a procura e seleção por novos profissionais para iniciar treinamento e contratar no mês de novembro. Para quem busca uma vaga, este é o momento de levar currículo até as lojas. “Há a possibilidade do envio on-line, mas off-line é melhor porque o candidato se apresenta, demonstra iniciativa”, diz Pena.
A dica é que o trabalhador chame o gerente ou recrutador para conversa, assim o funcionário já poderá avaliar a comunicação do candidato, considerada ponto importante no perfil dos profissionais contratados para vagas voltadas ao comércio. “É necessário se mostrar comunicativo, aguerrido e que goste de vencer metas e desafios”, diz o presidente da CDL.
Ivan dos Santos ressalta ainda a necessidade da qualificação.  “Só vai conseguir uma vaga quem for qualificado e tiver perseverança”, completa. 

 COMENTÁRIOS