...
PUBLICIDADE
FOLHAPRESS 11/10/2018

Sérvia e Montenegro se enfrentam pela 1ª vez

Antes nação única, as duas seleções fazem hoje confronto inédito no futebol

  
Mladen Krstajic, técnico da Sérvia, durante a Copa do Mundo de 2018 Divulgação/Fifa

Ainda dando seus primeiros passos e buscando se consolidar no calendário do futebol, a jovem Liga das Nações da Uefa já protagoniza em sua primeira edição um confronto histórico para a Europa, que transcende sua importância esportiva.

Sérvia e Montenegro, que até 2006 formaram a mesma nação, se enfrentam hoje, às 15h45 (de Brasília), pelo grupo 4 da Liga C, em Podgorica, capital montenegrina. O duelo será o primeiro entre os países, integrantes da antiga Iugoslávia.

A Iugoslávia passou a ser composta por seis repúblicas comunistas depois da Segunda Guerra Mundial. A união dessas repúblicas, contudo, não resistiu à queda do Muro de Berlim, marco da decadência do socialismo, e às crescentes tensões étnicas que motivaram os conflitos independentistas no início dos anos 1990.

Croácia, Eslovênia e Macedônia se declararam independentes em 1991. Um ano depois, foi a vez da Bósnia-Herzegovina. Em 2003, o que restou da Iugoslávia passou a adotar o nome das duas repúblicas restantes, Sérvia e Montenegro.

Em 21 de maio de 2006, porém, montenegrinos votaram em um referendo pela independência e 55,5% dos cidadãos (apenas 0,5% acima do índice necessário) decidiram pela separação, proclamada no dia 3 de junho, seis dias antes do início da Copa do Mundo da Alemanha, para a qual Sérvia e Montenegro estava classificada.

Apesar da independência de Montenegro às vésperas do torneio, a Fifa permitiu que os países atuassem sob a mesma bandeira no Mundial.

Havia grande expectativa em relação ao desempenho da seleção, com o novo nome, em uma grande competição, já que não havia se classificado para a Eurocopa de 2004.

Na Copa do Mundo, sérvios e montenegrinos caíram no duro grupo C, com Argentina, Costa do Marfim e Holanda. Na estreia, derrota por 1 a 0 para os holandeses, gol de Arjen Robben.

O segundo jogo da equipe entraria para a história das Copas ao registrar o primeiro gol de Lionel Messi em Mundiais. A Argentina atropelou Sérvia e Montenegro por 6 a 0, em uma das grandes exibições coletivas daquele torneio.

A melancólica despedida do selecionado balcânico foi em derrota para a Costa do Marfim, por 3 a 2, no adeus de sérvios e montenegrinos unidos no mundo do futebol.

Treinador da Sérvia, Mladen Krstajic era zagueiro daquela seleção que foi à Alemanha, cujo elenco tinha um só jogador nascido em Montenegro: o goleiro Dragoslav Jevric.

Ao contrário dos processos de independência da Croácia e da Bósnia-Herzegovina, a separação entre sérvios e montenegrinos, que ao longo da história mantiveram boa relação, foi pacífica.

Até por isso, os treinadores de cada seleção ressaltam a importância do confronto desta quinta, mas falam em tom de respeito com relação ao adversário.

"Esse jogo começou a ser jogado desde o sorteio. Não há técnico que não queira vencer e é assim que vou me comportar, mas dentro dos limites esportivos", disse Ljubisa Tumbakovic, que é sérvio e treina a equipe de Montenegro.

"Esse jogo, a gente queira admitir ou não, é igualmente importante para nós e para os montenegrinos. É um encontro histórico, por conta de todos os desdobramentos políticos. No entanto, vamos nos ater apenas ao esporte. Queremos fazer o melhor", afirmou Krstajic.

Apesar de ter sido força secundária no esporte do bloco comunista, a Iugoslávia sempre foi elogiada pela capacidade técnica de seu futebol, ganhando até a alcunha de "brasileiros do Leste Europeu".

Os iugoslavos conquistaram um ouro olímpico, em 1960, e foram duas vezes vice-campeões da Eurocopa, 1960 e 1968. Em 1962, ficaram em quarto na Copa do Mundo do Chile.

Com o desmembramento da Iugoslávia, a maioria das nações independentes não conseguiu manter sua força futebolística – a exceção foi a Croácia, que em menos de 30 anos foi terceira colocada e vice-campeã mundial.

Esportivamente, Sérvia e Montenegro têm sofrido nesse processo pós-independência. Os sérvios caíram na fase de grupos da Copa do Mundo em 2010 e 2018. Para 2014, no Brasil, nem se classificaram. A última Eurocopa que jogaram foi a de 2000, ainda como Iugoslávia.

Montenegro foi se filiar à Fifa somente em 2007, já com a fase classificatória para a Euro-2008 em andamento. Com alguns atletas talentosos, como os atacantes Mirko Vucinic, ex-Juventus e hoje aposentado, e Stevan Jovetic, atualmente no Monaco (França), a seleção nunca conseguiu classificação aos principais torneios internacionais.

No grupo 4 da Liga C, Montenegro e Sérvia têm 4 pontos e estão empatados na liderança, separados por somente um gol de saldo – os montenegrinos têm 2, enquanto os sérvios têm 1. 

 

 COMENTÁRIOS