...
PUBLICIDADE
07/11/2018

Pouco visitada, Granja do Torto deve voltar a receber hóspedes

  
Vista aérea da residência oficial da Presidência da República na Granja do Torto Ichiro Guerra/PR

Pouco visitada nos últimos quatro anos, período em que acabou servindo como uma espécie de depósito para móveis e objetos presidenciais, a Granja do Torto deve voltar a receber hóspedes.
A residência oficial, uma casa de campo que no passado foi palco para festas juninas e partidas de futebol de Luiz Inácio Lula da Silva, foi oferecida ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, para ele residir no período de transição.
Inicialmente, o capitão reformado não cogitava aceitar o convite do presidente Michel Temer de permanecer no imóvel, mas tem sido demovido da resistência por uma questão de segurança.
Segundo relatos de aliados, a residência oficial também tem sido avaliada pelo vice-presidente eleito, Hamilton Mourão, que poderá permanecer na Granja do Torto, em vez de morar no Palácio do Jaburu, durante o próximo mandato.
Para receber a comitiva do novo governo, a Presidência da República realizou no início de outubro, após o primeiro turno, serviços de manutenção e reparo na casa de campo, que apresentava infiltrações e rachaduras.
No período, mobílias que eram armazenadas na residência oficial foram retiradas, paredes foram pintadas, carpetes passaram por restauro e aparelhos de ar-condicionado trocados.
O local também passou por uma adaptação estética, com a colocação de sofás restaurados, tapetes orientais e gravuras do pintor Alfredo Volpi e do desenhista Carlos Scliar.
Para garantir a segurança do local, o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) esteve na casa de campo para avaliar a necessidade de reforço na equipe de guarda e identificar possíveis pontos cegos.
A Presidência da República informou que a preparação da residência oficial não teve custos extras ao estimado para a manutenção da Granja do Torto. Ela não informou, contudo, quanto é a previsão para este ano.

Tradição

A oferta da casa de campo ao presidente eleito se tornou uma tradição nos últimos anos. Ela serviu, durante o período de transição, de moradia aos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, em 2002, e Dilma Rousseff, em 2010.
Ela oferece mais privacidade que as demais residências oficiais e foi escolhida como domicílio pelos ex-presidentes João Goulart (1961-1964) e João Figueiredo (1979-1985).
Além de políticos brasileiros, a Granja do Torto recebeu a visita de autoridades e celebridades internacionais, como Ronald Reagan (1982), Fidel Castro (2003), Hu Jintao (2004), George Bush (2005), Lenny Kravitz (2005) e Bono Vox (2006). 
A construção apresenta cinema, heliponto, lago, campo de futebol e escritório privado. Para reuniões, tem uma sala com 50 cadeiras e um espaço com uma churrasqueira, onde Lula e Fernando Henrique Cardoso costumavam promover encontros. (Folhapress)

 COMENTÁRIOS