...
PUBLICIDADE
Natalia Gatto Pracucho 08/11/2018

Jaú tem festival literário independente

Programação reunirá escritores, músicos e artistas plásticos em debates, saraus, oficinas de criação e apresentações

  
Michel Yakini participa de roda de conversa no dia 12 de novembro Sonia Bischain

Jaú recebe, a partir de amanhã, o 1º Festival Literário Independente de Jaú (Flij), organizado pelo coletivo Literocupa e pela 11 Editora, de Jaú. A programação, até 18 de novembro, contará com saraus, café literário, oficinas de poesia, escrita criativa e quadrinhos, apresentações musicais e rodas de conversa nas quais serão debatidos temas como literatura feminista, periférica, negra, infantil e de cordel. 
A iniciativa, totalmente independente, tem por objetivo estimular e facilitar o acesso da população às mais diversas vertentes da literatura e atividades culturais. Todas as atrações são gratuitas e não há apoio do poder público.
“Nossa ideia é criar uma conexão do espectador com a leitura e com a arte, permitindo às pessoas que despertem seus próprios critérios de interpretação”, afirma Tamires Frasson, do Literocupa – coletivo que há mais de dois anos ocupa espaços públicos para realização de saraus de poesia e oficinas literárias.
O festival será realizado em diversos espaços de Jaú, como escolas, bares, restaurante, floricultura e na praça do Distrito de Potunduva (veja quadros). Os autores Michel Yakini, Daniel Carvalho, Pedro Alberto Ribeiro (Poeta em Queda), Mariana Lacava e Mateus Grava são alguns dos nomes que farão parte das atrações.
“Nós, da 11 Editora, sempre publicamos títulos que falam sobre o negro, a mulher, o interiorano, a periferia, o Nordeste, valorizando a diversidade”, diz Léa Prado, sócia-proprietária da 11 Editora. “Estamos levando um pouco de tudo isso ao festival, com atrações que se contraponham a esses tempos bicudos e mostrem a beleza da literatura, da música e das artes plásticas.”

Abertura

A programação será aberta amanhã, a partir das 19h30, no Tijuana Rock Bar, com duas rodas de conversa. Na primeira, Francisco Carlos Pontes abordará a “Literatura de Cordel como Patrimônio Cultural Brasileiro”; na segunda, a temática “A Literatura Negra no Brasil e sua Importância na Representatividade” será debatida por Sara Poetiza, Bruno Caldeira, Alan Tomaz e Cleber Amaral, com mediação de Jussara Felipe.
O local contará ainda com oficina de xilogravura, com Eder Grassi, sarau e exposição de fotografias do jornalista Rodrigo Castro. As atividades prosseguem até dia 18 de novembro. No decurso da programação, o Flij trará também performances artísticas, exposições, música autoral e café literário com autores jauenses.

Galeria de imagens:(Clique para ampliar)

 COMENTÁRIOS