...
PUBLICIDADE
08/11/2018

Democratas conquistam maioria e deixam Trump na berlinda

  

O resultado das eleições legislativas de anteontem pode ser reivindicado como vitória por democratas e republicanos. Nas eleições legislativas de meio mandato presidencial, os democratas retomaram o controle da Câmara ao conquistarem novos 26 assentos – mais do que os 23 necessários para comandar a Casa. Ficaram, porém, longe da onda azul que esperavam. O revés republicano era esperado, pois, nas chamadas “midterms”, o partido da situação costuma perder a maioria de uma das Casas. Ainda assim, com a confirmação da vitória, os democratas terão o poder de complicar a vida do presidente Donald Trump. Poderão pedir acesso a documentos fiscais e financeiros, para verificar se houve, por exemplo, registro de pagamentos feitos por governos estrangeiros a negócios em que o republicano tem participação – o que é vedado por lei. Supervisionar as ações do presidente é um dos deveres constitucionais do Congresso, mas, nos dois primeiros anos da atual gestão, essa premissa não foi levada a sério, diz Richard Arenberg, professor de ciências políticas da Universidade Brown. “Agora haverá muitas questões para as quais os democratas vão olhar”, diz.
Os congressistas terão possibilidade de convocar pessoas para depor e iniciar um procedimento de impeachment. Considerando o aumento do poder democrata, o partido pode se dizer vitorioso. Os republicanos, porém, saíram-se bem. Trump, que construiu um discurso de que as midterms seriam um referendo sobre sua presidência (elas sempre servem de termômetro para o presidente de turno), qualificou o resultado como “tremendo sucesso”. Seu partido ampliou a maioria no Senado – deve terminar as eleições com três ou quatro assentos adicionais. (Folhapress)

 COMENTÁRIOS