...
PUBLICIDADE
João Guilherme D"Arcadia 06/12/2018

Promotoria amplia inquérito do lixo em Jaú

Ministério Público quer informações sobre serviços de coleta de rejeitos e limpeza urbana

  
Terreno com mato e entulho de construção na Rua Izolina Rubim Camargo, no Jardim Orlando Ometto Laís Monteiro

O Ministério Público em Jaú vai pedir informações à Prefeitura sobre os serviços de coleta de lixo e limpeza urbana na cidade. Os dados vão subsidiar um inquérito civil que está em andamento desde abril na 4ª Promotoria de Justiça, que apura a existência de minilixões no Município. Agora, o promotor Paulo Campos dos Santos vai incluir na investigação a ausência de conservação básica de vias, canteiros, praças, parques e outras áreas públicas.
A nova fase da apuração foi motivada por reportagem do Comércio na última sexta-feira, que mostrou a atuação coletiva de moradores da cidade para limpar espaços coletivos, além de representação do vereador Tuco Bauab (MDB) e relatos diários de abandono em vários pontos de Jaú.
“Nós verificamos que esse serviço vem sendo mal feito, e vamos cobrar o restabelecimento, mesmo que seja judicialmente”, afirma o promotor, que ontem ouviu um dos líderes comunitários que se engajou na conservação de pontos da cidade. O cidadão se comprometeu a encaminhar fotos que registram o “antes e depois” da limpeza dos moradores. “É uma situação que atinge de maneira generalizada todas as áreas, das regiões mais pobres às mais nobres, bem como o Centro e os parques”, indica Santos.
Nos próximos dias, o MP encaminhará ofício à Prefeitura, pedindo informações sobre a existência e a regularidade do serviço de coleta de lixo no Município. “Nós vamos requisitar esses documentos e se não chegarmos a um consenso teremos que ingressar com uma ação civil pública.”

Colapso

A conservação de vias e logradouros era realizada pela empresa Estre Ambiental, cujo contrato foi encerrado a pedido da terceirizada há cinco meses. Desde então, o trabalho vem sendo efetivado de maneira precária pela administração, que também não providenciou a licitação para contratar novamente o serviço.
Uma das “alternativas” encontradas foi delegar à empresa Elo Ambiental, originalmente contratada para eliminar focos de dengue, a tarefa de manter limpos alguns espaços públicos. Ontem, equipe da terceirizada estava na Praça das Virgens.
A reportagem tentou ao longo da tarde de ontem contato com o secretário de Meio Ambiente, Eduardo Abussamra, mas não conseguiu retorno até o fechamento desta edição.

 COMENTÁRIOS